[SIN] KILLER: Novembro 2013

sábado, novembro 30, 2013

Josh White : ABSOLUTION free download via http://noisetrade.com





"Absolution", o novo álbum do cantor e compositor Josh White, não é tanto um novo álbum, pois é uma desconstrução e recriação de canções do passado da cantor. Tendo a música escrita para a Igreja há mais de uma década sob múltiplas identidades (Telecast, The Followers, and Pilgrim), White retrata aqui os seus três registros pela Telecast records, e com a ajuda de seus amigos Eric Earley (Blitzen Trapper, The Followers), Evan Way (The Parson Red Heads, Ozarks), Daniel Dixon (Greylag) e  o produtor /mixer Danny O'Hanlon, ele cria uma experiência de adoração orgânica e extremamente íntimo. O álbum também apresenta uma nova canção, intitulada "Sweet Peace".

Este álbum está sendo lançado pela Deeper Well Records, tipo como um arrecadador de fundos.  A missão dos selos,  sempre foram a de lançar álbuns de alta qualidade com foco em Jesus Cristo e no Evangelho, para pouco ou nenhum custo para o consumidor. Conseguimos lançar 5 álbuns totalmente gratuitos para o público, sustentando-nos apenas através das doações que recebemos. Mas, para que a gravação e lançar álbuns, desta forma, ser sustentável, temos de ser capazes de trazer um pouco mais de fundos do que temos no ano passado. Este álbum ainda está disponível a um preço pay-what-you-want, mas a nossa sugestão de doação é de R $ 10. É claro que prefiro que você tem a música, mesmo se você não tem o dinheiro! Mas, quanto mais dinheiro pudermos levantar através do lançamento deste álbum, o mais fácil será para que possamos continuar a lançar álbuns no próximo ano da forma como fizemos no ano passado.

Esperamos que você reserve um tempo para ouvir a música e pensar no quanto  você estaria disposto doar para   ajudar a manter Deeper Well Records funcionando ! E se você não estiver familiarizado com o nosso catálogo de lançamentos antigo, você pode ver mais no nosso site - www.deeper-well.com

Obrigado - e divirta-se!


quinta-feira, novembro 28, 2013

[Gigs] Easterfest 2014 Line up.

O festival australiano segue com mais uma edição, em 2014. O line up, vai deixar você com água na boca.
Como o Brazil precisa de uma festival desse nível!!! 


https://www.facebook.com/easterfest

Mark Driscoll Responde às Acusações de plágio

Fonte :  http://www.relevantmagazine.com/slices/mark-driscoll-responds-plagiarism-accusations

Esse não é um assunto para o SIN KILLER, então é só quis reproduzir mesmo. No entanto, sabemos que, os crentes mendigam por 'likes' a qualquer custo, se promovendo em coisas, que pra nossa sorte, acabam  revelando seu carater (?). Acaba aqui meu pensamento, que nada tem a ver com a noticia abaixo...

Mars Hill pastor e autor Mark Driscoll está sendo acusado de não  creditar devidamente o  autor original das obras, em seu livro A Call to Resurgence,  em várias partes.  
A radialista de um programa de rádio cristão,  Janet Mefferd recentemente teve Driscoll em sua transmissão, e apontou os escritos que pareciam ter sido diretamente tirado a partir de outras fontes, sem creditar corretamente o autor Dr. Peter Jones. Mefferd depois postou imagens dos escritos em questão em seu site. Driscoll, que diz que ele é um amigo do Dr. Jones e menciona-o em notas de rodapé do livro, disse que era possível que um erro tenha sido  cometido, mas estava claramente surpreso com as acusações. (Você pode ouvir a entrevista aqui.) Ele também alegou que nada impróprio foi feito intencionalmente, como o tom da entrevista tornou-se cada vez mais conflituoso...

Após a entrevista, Mefferd twittou que Driscoll desligou na cara dela,  por causa do questionamento, apesar de um arquivo de áudio bruto mostrou que Driscoll não desligou, durante a entrevista. Em resposta à aparência e, rádio e acusações, a editora de Driscoll emitiu um comunicado dizendo: "Tyndale House Publishers foi entregue uma gravação do show pelos representantes do Pastor Driscoll. Um número de pessoas em Tyndale reviu a fita e ficaram surpresos, não só com as acusações, mas pelo tom beligerante de questionamento da Sra. Mefferd ... Tyndale tomou medidas imediatas como no processo de revisão da parte do livro do pastor Driscoll que tem sido posto em causa. Pastor Driscoll também estendeu a mão para o Sr. Jones e esperamos ser capazes de liberar algumas informações sobre sua reação à entrevista muito em breve "...

quarta-feira, novembro 27, 2013

THOSE WHO FEAR "Burn" Official Music Video




Directed by Orie McGinness at Enlighten Graphic and Print

From the album "Unholy Anger", 2013 on Facedown Records. MERCH: http://facedown.merchnow.com/catalogs...

Facebook: https://www.facebook.com/thosewhofear

LYRICS

We have chosen to set ourselves apart
With this flame that's in the depths of our hearts
This is my everything
And with every last breath that I take
We're going to let this burn
We are called to be the light of this world
With the fire that burns within our hearts
I will not let this light burn out
Who can extinguish this flame?
I will not let this light burn out within our hearts
We have chosen to rise
We have chosen to fight with no excuses or compromise
Even though we're living in these dark days
Tonight we're going to burn
We are the light of the world
Whoever follows will not walk in darkness
An escape from the abyss you've been living in
No more hiding in shadows

Free Download e Album Stream do SCOTT STAPP





Via http://www.ccmmagazine.com/article/free-download-and-album-stream-from-scott-stapp/

segunda-feira, novembro 25, 2013

Exalted Saviour : Raw demais!


Tudo começou com um convite pra curtir... hahah... E eu fui com a cara e a coragem de sempre, pra encarar as hordas unblack, que tem uma atenção especial do SIN KILLER. Não sei nada sobre esse projeto canadense de nome Exalted Saviour (one band man) c/ logo bem unblack. O ser por trás dessa coisa se chama Michael Mosher, também Michelle Massacre segundo consta no www.metal-archives.com/bands/Exalted_Saviour/, onde achei mais informações. Batizado de White/doom metal que já deixou seu rastros com outros nomes, [Melchizedek, Photosynthesis, ex-Rotting Serpent, ex-Sun Won't Rise, Diet of Worms, Medic!, ex-AnHero, ex-Doxomedon, ex-Intra-Uterine Sabbat, ex-Katachthonios, ex-Rob Grave$, ex-Self-Hatred, ex-The Dipshit Losers]. E tanta experiência (?) me fez cair do cavalo. O material é muito caseiro, judiado, mal gravado, impossível de se esconder dentro do “raw metal”. 
Eu esperava muito mais... Se o problema for produção, retire tudo que eu disse. 

https://www.facebook.com/exaltedsaviour


Escute : https://www.youtube.com/user/michellemassacre999

COLOSSUS "Transgressor" Official Music Video

Emery : Muda tudo para "Bad Christian"


Aqui, estou, tentando mudar aos poucos, o jeito e a forma de postar no SIN KILLER... Sair pra fora das "formas tradicionais" e ser mais eu, pois a ‘coisa’ física que faz ele andar sou eu, né? ... Escutando o delicioso Until We Have Faces, do Red, para mais um post aos ventos...

Quem anda ligado na cena, os mais atentos, é claro, perceberam uma coisa meio estranha na banda Emery.

"Toda decisão traz consigo certos benefícios e toda decisão traz também consigo os seus custos. Tony Robbins"

Claro que não estou falando de sua saída do grande selo que os colocaram no mundo, Tooth & Nail, mas do nome que eles deram para sua própria gravadora e seus demais stuffs , que vão agora ser lançados sob o nome Bad Christian e estão rebatizando tudo com essa tag.

Para quem trabalha com ‘christian music’ e/ou consome, não pareceu cool, mesmo em tempo que a música cristã, parece ter uma nova cara. Doeu L. O SIN KILLER não vai querer encarar esse compromisso íngreme, para explicar o que se passa agora dentro ou fora da banda.

Esse Rebranding (Bad Christian) vai render muita coisa e o Emery avisou aos interessados, que a mudança aconteceu amigavelmente.

O que diz no Blog :

badchristian.com--------------- Nós acreditamos no que estamos fazendo como Bad Christian. A resposta positiva de vocês confirma isso. Não podemos "esquecer aqueles que dizem", Emery, você acabou de perder um fã "ou" Pare com essa besteira religiosa e toquem música. Nós amamos sua música, mas nós não nos importamos sobre vocês como pessoas. 

"Nós amamos vocês também”

“A explicação para bad... Nós comparamos a busca para ser um "bom cristão" ao que a Bíblia ira rotular como sendo um bom fariseu. Nós preferimos chamar os seguidores de Jesus de cristãos ruins que, felizmente, temos um grande Salvador. Nós também acreditamos que Jesus growls, muda e torna as pessoas melhores.

SIN KILLER – Logo quando a banda soltou esse comunicado, pensei na hora o que aconteceu com eles? No entanto, foi fácil a compreensão. A mudança mesmo foi só de Rótulo mesmo.
As coisas estão muito clara pra mim.



E ai, get behind it.?

sábado, novembro 23, 2013

Christian Deathcore: Volume 2

Um belo e bom prato nos chega em tempos de comida de urubú... Só  come restos quem quer, não é? Ops o caramba! Bon appetit!!!

Antes de escutar, não custa saber um pouco sobre o projeto? 


35-song compilation of deathcore/extreme bands glorifying God.
All donations will be used to purchase more credits for free downloads.
www.facebook.com/ChristianDeathcorePromotion

released 17 November 2013
Special thanks and courtesy to Itchy Metal Entertainment, Red Cord Records, Rottweiler Records, and Solid State/Tooth & Nail Records.

Artwork by Joshua Moore (www.facebook.com/joshmgrahpics)

# christian deathcore metal United States


quinta-feira, novembro 21, 2013

Hawthorn : Dark Tales liberado inteiro no bandcamp para audição.



Add : Recorded at Silent Music Estudios,April 2012 

Produced by Karim Serri and Guilherme H

Enginered and Mixed by Karim Serri

Mastered Silent Music Estudios By Karim Serri, March 2013

Released 18 November 2013

Via https://hawthornband.bandcamp.com

quinta-feira, novembro 14, 2013

[interview] Scott Stapp - Um salto para morte, vivo pra contar a históra.

THE SCAPEGOAT

 
Photo by Jeremy Cowert

Andrew Schwab do Projeto 86 falou com o ex-vocalista do Creed, Scott Stapp





Scott Stapp passou por alguns dos maiores `altos e baixos` que qualquer ser humano pode experimentar. Mesmo se  você não é um fã  de sua  banda Creed  ou sua música solo, você tem que admitir que a venda de 50 milhões de álbuns, e ganhar um Grammy são conquistas que maioria dos seres humanos só  sonha.  Stapp é a prova viva, no entanto,  esses sonhos podem rapidamente tornar-se pesadelos absolutos, especialmente se o seu coração está no lugar errado.
Como sua antiga banda subiu às alturas da cultura pop, Stapp desceu em um mundo de drogas e alcoolismo que quase o levou à morte. Esta desgraça atingiu seu clímax brutal  em 2006, quando ele se jogou de uma janela de 10 andares de um hotel durante múltiplos dias de bebedeira . Ele foi encontrado, pingando sangue e deitado em uma varanda, do rapper TI, que, como se vê, era um mensageiro direto de cima. Depois de uma longa recuperação, Stapp descobriu a cura, renovação, sobriedade e fé verdadeira. Eu conversei  recentemente com Stapp para discutir seu novo álbum solo, Proof of Life, sua autobiografia sem censuraSinners’ Creed o mais importante, as lições que ele aprendeu com seus erros.
Seu novo álbum, Proof of Life, para aqueles que não estão familiarizados, basicamente conta a história sincera de seus altos e baixos públicos  e muito marcado  em toda a sua jornada com Creed e mais além. Em que momento você se sentir como você queria contar a sua história através de um álbum solo?

Em que momento você  sentiu que queria contar a sua história através de um álbum solo?

Bem, eu acho que isso aconteceu organicamente. Quando eu estava contando a minha história através da minha autobiografia, Creed Sinners (que saiu em outubro passado), eu acho que foi o começo  de quando a música estava ocorrendo.  Eu realmente não estabeleço  contar a minha história, por si só, eu só, sempre,  escrevo  a música com o coração, falando honestamente sobre a minha vida. O que torna este álbum original é que eu um passo decisivo como um ser humano. E eu acho que está muito refletido nesse recorde.
É este álbum um complemento para o livro? Como os dois estão separados um do outro? Há alguma histórias, idéias ou sentimentos compartilhados no álbum que não pode ser encontrado no livro?
Um não poderia ter acontecido sem o outro. Sem o livro – e o processamento que fiz sobre o último capítulo da minha vida - eu não teria sido capaz de expelir a música e dar  uma voz para canção. O disco é essencialmente uma continuação do livro. É tipo como um  último capítulo, ou um resumo.
No entanto, existem algumas coisas que me dirijo no álbum que eu não mencionei no livro. Por exemplo, a canção "Who I Am" olhar para o meu próprio ego e domínio  que ele teve sobre mim. Acho que com essa canção que eu dei o meu ego  uma voz. Essa foi uma das primeiras músicas que eu escrevi,  quando  me abordei na letras como um personagem.

É este álbum um complemento para o livro? Como os dois estão separados um do outro? Há alguma histórias, idéias ou sentimentos compartilhados no álbum que não pode ser encontrado no livro?

Um não poderia ter acontecido sem o outro. Sem o livro – e o processamento que fiz sobre o último capítulo da minha vida - eu não teria sido capaz de fazer  a música e dar  uma voz para canção. O disco é essencialmente uma continuação do livro. É tipo como um último capítulo, ou um resumo.
No entanto, existem algumas coisas que me dirijo no álbum que eu não mencionei no livro. Por exemplo, a canção "Who I Am" olhar para o meu próprio ego e domínio que ele teve sobre mim. Acho que nessa canção, eu dei o meu ego uma voz. Essa foi uma das primeiras músicas que eu escrevi, quando me abordei na letras como um personagem.

Tem  algum momento nesse disco, que quando você para para escutar, aonde você se sente como se você tivesse feito grande avanço como músico que nunca foi  capaz  antes?

Eu sou sempre hipercrítico. Houve momentos em cada recorde ou até mesmo músicas inteiras que Eu gostaria de ter feito de forma diferente. Este é o primeiro disco que eu fiz prontamente, depois de algum tempo e espaço, e ouvindo com ouvidos ultra-críticos onde posso dizer que não há nada que eu mudaria. Eu acho que fala com o quão duro eu trabalhei neste projeto e quanto eu coloquei nele, até o ponto onde houve momentos durante todo o processo que eu me sobrecarreguei, e não sabia se eu ia terminá-lo. Custou muito de mim emocionalmente, mentalmente e fisicamente. Eu não gostaria de reviver como eu fiz isso de novo, mas eu sei que cresci como artista durante o processo.

Você conseguiu grandes coisas em sua carreira, tanto quanto as vendas de discos. Você ganhou um Grammy. Você realizou coisas que outros artistas só podem sonhar. Você deve ter se sentido invencível. Mas em algum momento houve uma mudança acentuada na percepção do público a respeito de sua banda e você pessoalmente,  durante a sua carreira com o Creed. Isso chegou a um ponto onde as coisas estavam ocorrendo fora do palco que não só desviava  pessoas das, mas até ofuscava sua música. O que você acha que foi o ponto de viragem?

Acho que foi uma série de coisas. O velho ditado "o orgulho vem antes da queda" soa tão verdadeiro. Quando você chegar a um ponto onde perde a sua gratidão e perspectiva e você está cercado por "sim" das pessoas, tudo isso só alimenta o ego. Acho que até a pessoa mais humilde pode ser arrastado em tudo. Se você olhar para a história do rock and roll, você vai ver isso acontecer inúmeras vezes com os artistas que conhecemos e amamos, quanto mais ainda, um sucesso momentâneo de quem você nunca ouviu falar. E em 50 por cento dessas histórias, as pessoas acabam mortas.

Foi muito público para mim. Eu fui a um lugar escuro e sombrio, e eu não sabia como sair. Eu tinha acumulado riqueza, tive muita influência, e não tinha ninguém para me falar a verdade. Essa combinação pode literalmente matar qualquer um.

Eu descobri, quando as coisas se tornam tudo sobre mim, que é quando os problemas acontecem. Eu agora olho para a música como um dom e uma benção, e uma oportunidade para servir e partilhar. Quero compartilhar minhas falhas, meus erros e tudo o que posso para inspirar aqueles que têm dado muito para mim. Esta indústria deu-me muito e eu preciso dar a volta. Foi assim necessário, o que aconteceu comigo; se eu não tivesse passado por essas coisas, eu não seria capaz de fazer a música que eu estou fazendo hoje.

Eu carreguei muita culpa e vergonha por um tempo muito longo. Eu não queria nem sair fora. Eu sentava sozinho para beber em minha casa. Eu me senti como um excluido social. E se capaz de passar  por tudo isso e ter gratidão agora... Isso me fez uma pessoa tão melhor. Agora, eu não olhe para trás com raiva ou ressentimento ou arrependimento. Eu tento usar essas memórias como uma fonte de força, porque eu sei que eu não vou fazer no futuro, e eu sei o quanto eu tenho que dar agora como artista.

É preciso coragem para enfrentar seus próprios demônios, as decisões ruins que você tomou... Você tem sido público sobre sua luta com abuso de drogas e depressão. Em que ponto você olha a sua volta e diz: "Como cheguei aqui?" Em outras palavras, qual foi o seu fundo do poço?

Eu tive mais de um. Você chega ao seu fundo do poço quando você decidir parar de cavar. Para mim, eu atingi alguns fundos mais do que outras pessoas (que não são tão cabeça-dura) que teria considerado o ponto de virada. Mas eu mantive a cavar. Porém o que levantou minha vida foi o verdadeiro grito de alerta. Eu estive incapacitado por 12 meses, e três deles eu mal conseguia falar. Eu tive que ficar acamado sozinho com meus pensamentos e pensar em como eu cheguei lá. Eu não podia me mover ou andar. Isso me deu bastante perspectiva. Cheguei a um ponto que eu não podia continuar culpando os outros mais, porque tudo se voltou para mim e para as decisões que tomei. Eu finalmente sai da negação, encarei as situações que eu estava dentro. Se Você chegar a esse ponto, você pode realmente começar a crescer e se curar como um ser humano.

Um particular interior para você, como você acabou de mencionar, é a noite em que você pulou de uma janela do 10 º andar e, milagrosamente, viveu. Descreva os momentos que antecederam aquela noite: a sua mentalidade, seus pensamentos, sua decisão de saltar.


Eu estava em um apagão quase absoluto por dias a fio. Eu estava entrando e saindo de coerência. Eu estava nas drogas e álcool constantemente. Eu não tinha dormido durante muitas noites. Eu tinha passado do ponto de suicídio lento - que é o nome do meu atual single - e se transformou  para “Esse é o fim”. Eu estava tão preso a doença do alcoolismo e da dependência que não podia ver que ele estava tentando  me matar. E estava prestes a suceder.
Você está em um lugar psicótico quando você tem todos os produtos químicos em seu corpo e você está privado de sono. Você é uma pessoa possuída. Quem estiver nas  drogas e álcool não reflete a pessoa que você é fora deles. Eu acho que é um equívoco comum daqueles que não se cruzaram com o vício que tem. As pessoas que estão nas drogas e álcool estão em um estado de psicose mental. Quando você se livrar dessas coisas, a pessoa real pode voltar, mas eles têm de lidar com o rastro de destruição que deixaram atrás deles, e as pessoas feridas ao longo do caminho.

Você professava ser cristão desde muito jovem. Sua banda foi rotulada de cristã por muitos. Mas você já chegou num ponto onde você queria se distanciar desse rótulo - um rótulo que não é necessariamente uma forma positiva na mídia em geral? Você já se sentiu dessa forma, - por causa do respeito dos outros e em torno desta indústria - você só queria provar que você era simplesmente rock and roll, mesmo à custa de suas próprias crenças? Alguma vez você saiu do seu caminho para tentar mostrar às pessoas: "Não, eu não sou um artista cristão, eu sou apenas um artista. Eu sou real?

Eu fui criado no "Cristianismo", mas estava longe de ser o verdadeiro cristianismo. Era abuso emocional, físico e espiritual.
Que é de onde  o conflito dentro de mim veio. Embora eu tivesse sido criado na fé, eu não queria ter nada a ver com isso. Como alguém poderia querer associar-se com algo que os representantes daquela coisa estão habitualmente batendo em você em todos os sentidos? Isso não é cristianismo! E Se  fossa alguma coisa, era  como Jim Jones. Foi  mais de um culto.

Nós não começamos, de forma alguma a ser associado com o cristianismo. Nós éramos apenas uma banda de rock and roll amarrada num num estilo de vida rock'n roll. Sexo, drogas e música. Isso era o tudo sobre nós. Mas, em momentos a sós, eu não poderia escapar do que eu estava lutando com, dentro de mim. Eu estava tentando lidar com a dura e abusiva religião, excessivamente dogmática que era enfiada goela abaixo.

Quando você comete abuso, você sempre se pergunta: "Por que essa mulher fica com este homem? Ele bate demais nela. Mas então ela chora para à polícia:" Não levá-lo embora! " Como ela sangra no seu rosto, porque ele quebrou a cabeça e bateu até os dentes sair pra fora. Como você figura isso? Essa foi a mesma coisa que estava acontecendo comigo, como um escritor da época. Embora na minha vida, eu não estivesse se rebelando contra o Cristianismo, eu ainda era aquela mulher espancada, pensando: "Bem, talvez eu esteja errado ...”

E ainda dentro de tudo isso, ainda havia algo a dizer-me que Deus era a resposta e a forma como fui criado não era. Então, isso continuou saindo de mim como um escritor que estava derramando seu coração em sua música. Eu acho que é aí que a confusão veio, porque eu estava confuso. Eu estava apenas tentando ser uma banda de rock e escrever com o coração. Eu não acho que "banda cristã" foi o rótulo correto, quando foi dado, mas olhando para trás, letras e conflitos internos que eu estava tendo, eu posso ver o porquê das pessoas imaginar o contrário. Eu estava em busca de "algo maior", mas não a Deus como eu o entendia na época.


Como sua jornada de fé evoluiu  ao longo dos altos e baixos de sua carreira até agora? Você ainda se considera um cristão? Se sim, como você define esse termo?

Eu sou um cristão completo. Eu absolutamente tenho um relacionamento com Jesus Cristo e aceitei Ele como meu Senhor e salvador. Eu finalmente fui capaz de conciliar isso com a minha formação e separar os dois. A realidade de Cristo, da Igreja e a que a Palavra diz , é muito diferente do meu histórico.
Agora, isso não significa que eu escrevo canções proselitistas. Se isso sai de mim, sai porque é orgânico. Não é uma agenda. Eu também sou apenas um artista de rock and roll secular . Eu não acho que nós precisamos classificar e categorizar cada pessoa que professa a fé e faz música.

Há aqueles que sentem um chamado em sua vida para pregar e compartilhar Cristo diretamente. Eu busco inspiração como artista, e ela sempre reflete com precisão o que realmente está acontecendo na minha vida. No novo registro, não há dúvida alguma no material que é diretamente sobre o meu relacionamento com Deus e onde estou espiritualmente, mas isso é apenas honestidade, sem obrigação. Eu não abordo em cada música uma ideia preconcebida para fazer isso. Eu sou apenas grato a Deus por Ele poder me usar, apesar de mim mesmo. Eu sou grato por ser inspirado por minha fé em Deus e pelo que Cristo fez na minha vida.Você tem algum conselho específico para os leitores que lidam com o abuso de substâncias e / ou depressão neste momento?

Acho que a primeira coisa que eu posso dizer é:  peça ajuda. Não tenha vergonha de pedir . Não tenha medo de compartilhar com alguém o que realmente está acontecendo com você. É normal,  Não há nada a se sentir culpado ou vergonhoso. Informe o seu pastor, o seu professor ou seu melhor amigo. Não é uma sentença de morte, você pode sair. Não se sinta preso, e não sinta que não há uma solução, porque tem. O primeiro passo é apenas levantar a mão e dizer: "Eu preciso de ajuda." Simples assim.

De algum jeito não tem como controlar a forma como as pessoas lembrarão-se de você. Você não pode ter de volta as decisões que você fez. No seu caso, você fez um monte de decisões publicamente, certas e erradas, que em alguns sentidos se solidificou seu legado. Mas, em outros sentidos, o livro ainda está sendo escrito. Quando as pessoas mencionam o seu nome  em 10 anos na estrada,  quais as  palavras ou imagens que você quer ser associado?

Fora desta indústria em geral, 99%  por cento das pessoas que  pensam sobre  música, falam em meu nome. Então eu tenho que garantir  que não vou aceitar  1 %  se a minha imagem não for como realmente, é meu legado.
No fim do dia, eu só quero ser lembrado como alguém que derramou o seu coração e alma em sua música e era honesto em tudo o que ele fez.

"Article translated and reprinted with permission from HM Magazine."


August Burns Red - Provision



quarta-feira, novembro 13, 2013

AS I LAY DYING : o caso de Tim Lambesis, será resolvido só em 2014.


... Como informamos na semana passada, depois de muitos atrasos, hoje foi o grande dia para Lambesis, como não havia outra audiência marcada...

... Mas, se você está supondo que alguma coisa ficou resolvida, você está errado. O caso continuará  aberto e vai para  2014...

... Lambgoat tinha uma fonte dentro do  tribunal  hoje e relatou de que a audiência de hoje foi extremamente breve. Lambesis apareceu com seu advogado Thomas Warwick como pode ser visto na foto acima e se declarou "inocente" para uma acusação de crime de solicitação de assassinato...

A data de 15 janeiro foi definida para uma conferência de prontidão, que é onde os dois lados discutem o caso para ver se as duas partes concorda solucionar o caso. Isso  seria  onde o pedido de apelação aconteceria, se for isso... 

Caso não seja capaz de resolver o caso, ele vai a julgamento, com uma proposta de 11 de março,  data para o julgamento, apesar de que é susceptível de ser empurrado para trás.
apesar de que é provável que seja adiado.

" Isto é como o sistema legal americano funciona"

O resto, no link http://www.metalinjection.net/as-i-lay-dying-frontman-murder-for-hire-case-wont-be-resolved-until-2014.html


terça-feira, novembro 12, 2013

Eterno Fest, anuncia nova data do evento.


O festival Mexicano teve que mudar a data e por causa disso, acabou ocorrendo o cancelado do show da banda brasileira  Crença E Fúria, que segue com sua turnê Let's Live Our Faith praquelas bandas...

https://www.facebook.com/eternofestmexico

Bruce Springsteen, discografia se torna material para estudo teológico...

Universidade planeja aula de teologia sobre Bruce Springsteen


por ROLLING STONE EUA
12 de Nov. de 2013 às 18:12
Seminário primeiranista vai examinar 40 anos de letras do cantor
Qualquer um que tenha ouvido bastante Bruce Springsteen certamente já notou o apreço do cantor por referências bíblicas nas letras dele. Agora, a Rutgers University está fazendo um estudo sobre elas.
A faculdade em Nova Brunswick, Nova Jersey, Estados Unidos, oferecerá um seminário para os alunos do primeiro ano examinando a teologia de Springsteen, de acordo com uma entrevista no site da Rutgers Today PR com Azzan Yadin-Israel, o professor do curso. A aula vai discutir a discografia completa de Springsteen, desde Greetings From Asbury Park, N.J, de 1973, a Wrecking Ball, lançado no
ano passado.
“Teologicamente, eu diria que os temas dominantes são a redenção – cruzando o deserto e entrando na Terra Prometida – e o caráter sagrado do dia a dia”, disse Yadin-Israel. “Springsteen tenta trazer o poder dos símbolos religiosos que normalmente estão isolados em uma realidade transcendental do mundo onde vivemos. Nos últimos álbuns, ele também escreveu muito abertamente sobre fé.”
Yadin-Israel, um professor adjunto de estudos e filosofia judaicos, geralmente ensina literatura rabínica antiga, mas é fã de Springsteen desde o ensino médio.
Outras faculdades já ofereceram cursos sobre Springsteen no passado, nota a revista Time, incluindo uma aula de sociologia em Princeton e um curso de história na University of Rochester sobre Springsteen e a classe trabalhadora nos Estados Unidos.

segunda-feira, novembro 11, 2013

the WAY – I Keep Falling (Full Album Stream)






Escute I Keep Falling inteiro, e agradeça o site  http://www.indievisionmusic.com/2013/11/09/the-way-i-keep-falling-full-album-stream/ por isso.


the WAY “I Keep Falling” (Release Date: December 10th / Thumper Punk Records)



domingo, novembro 10, 2013

Deliverance – Hear What I Say ! (A espera acabou)


A espera terminou! O último álbum do  Deliverance,  chamado Hear What I Say!   será lançado oficialmente no dia 10 de dezembro de 2013.  Hear What I Say! tem sido um dos mais falado e aguardado  álbuns de thrash metal de 2013.


Novidades como um cover do Iron Maiden, "Where Eagles Dare", uma faixa dedicada aos fãs da alemanha, uma versão de  'Detox' em alemão. 

Como um bônus adicional, os primeiros 200 exemplares também contará com um poster em (edição limitada) que será  numeradas  a mão e assinadas pelo  vocalista e fundador do  Deliverance, Jimmy Brown. 

Portanto, escolha seu  em www.3frogzstudio.com ou www.roxxproductions.com

[Interview] Final Surrender : O que metal da India tem pra nos oferecer???

Tudo que é inspiracional é bem vindo aqui e é com esse sentimento que compartilho (posts) tudo aqui. A banda que você vai lê a entrevista a seguir, tem tudo isso e muito mais pra nos oferecer. Você vai se encantar com a história do Final Surrender, de Bangalore/India, que faz parte da atual revista HM, com o Impending Doom na capa. (Free em pdf). Não esqueça de agradeçer a HM por mais um grande trabalho!

FINAL SURRENDER
The best metal India has to offer
By Chelc Eaves



English  interview :  http://hmmagazine.com/blog/feature/final-surrender/
"Article translated and reprinted with permission from HM Magazine."

Bangalore é muitas vezes conhecida como a "capital do rock/metal da Índia" por causa de sua cena de música underground, e eu vi um pouco disso quando conheci a banda Final Surrender - originária da Índia  - para conversar sobre o novo álbum da banda, Empty Graves. Ninguém gosta de acordar cedo em uma manhã de sábado, todos os méritos para as diferenças de fuso horário, e não foi agradável quando nossa conexão entre países foi interrompida por várias vezes , prolongando, portanto, a entrevista em mais de três horas.
Embora eu achasse que era muito cedo para as minhas forças serem testadas, fiquei realmente surpreso com o quão inteligentes e sinceros  esses caras se mantiveram. Não seja se deixe levar só pela intensidade que eles põem nas músicas, o modo inteligente deles não se refletiu apenas na música, mas na entrevista também. Isso foi exatamente o tipo de “pratique o que você prega", declaração  que todos nós desejamos de nossos músicos , certo?

Entre as falhas frequentes durante a ligação telefônica, nós também conversamos sobre como é trabalhar com uma gravadora do outro lado do mundo, o que os leva a tocar a música que eles amam e como superar maiores provações ajudou a banda se desenvolver em outros aspectos. Embora o Final Surrender seja uma banda de base, cristã, não se surpreenda se você se sentir tocado de outra forma pelas músicas da banda.

Então me diga um pouco sobre o  Final Surrender e como a banda começou.
Meu baterista, Jared, e eu começamos a gravar demos por volta do final de 2007 e, a partir daí, uma coisa levou a outra. Nós colocamos os membros juntos, um por um, e tudo se encaixou perfeitamente, como um quebra-cabeça. (Jared e eu ) tínhamos essa paixão - forte , em certo sentido - para tocar metal, e começamos como um projeto de dois membros sem nome ou qualquer coisa do tipo, e então decidimos, "por que não levar isso para o próximo nível, formando uma banda na sua plenitude ? "
Onde você conheceu os outros integrantes da banda e há quanto tempo vocês já estão juntos?
Éramos todos músicos de bandas diferentes, e nós compartilhávamos uma amizade mútua tocando juntos nos mesmo circuito musical daqui. Mas a banda se formou, de modo geral,  no final de 2010.
O que levou cada um de vocês a trabalhar com esse gênero ?
Puramente, apenas o amor por isso. Falando de um modo  menos profundo, isso foi também  um  desafio para  reproduzir  as complexas  estruturas rítmicas.
Como a música de vocês evoluiu desde que começaram a tocar juntos?
Nós passamos a respeitar a nossa música muito mais do que antes, sempre evoluímos na intensidade. Por isso é bom progredir nesse direção.
Alguém em particular influenciou o talento artístico/ a música de vocês?
Há um monte de artistas, na verdade, porque cada membro é influenciado por diferentes estilos, mas acho que este gosto pela forma bruta, intensa e agressiva do metal é , provavelmente, o terreno comum que compartilhamos. Mais do que tudo, é o nosso relacionamento com Jesus  que desempenha o papel mais importante no que diz respeito às influências.

O que te inspira a tocar música ?
A Vida. Em todas as suas excentricidades e belezas contrastantes !
Quais são alguns dos maiores obstáculos em trabalhar com um selo de Indiana?
A distância em que vivemos uns dos os outros (risos) ! Quer dizer, foi um conjunto de coisas. Detalhando, eu diria que foi mais uma experiência de aprendizagem trabalhar com um selo musical porque você tende a trabalhar mais duro. Nesse sentido, nem todas as bandas conseguem trabalhar com um selo musical. Eu acho que é bastante apropriado confiar na própria música, acompanhado de uma mesma visão da gravadora, razão pela qual ela aceita trabalhar com você. Desta forma, considero que estamos gostando bastante de trabalhar com a Rottweiler Records, ate agora.
Qual a diferença a entre a resposta internacional e a resposta que vocês recebem do seu país?
Não tem muita diferença, na verdade. Tem sido legal na Índia, e finalmente, as pessoas conhecendo internacionalmente torna isso mais interessante e expande de forma adequada o conhecimento por trás de como diferentes pessoas percebem a nossa música. É um sentimento muito bom saber que as pessoas ao redor do mundo realmente gostam do seu material.

Onde você acha que a sua maior base de fãs está localizada ?
Agora,  em Bangalore, mas eu acho que isso vai se expandir em breve. E sim, há poucas cidades na Índia para onde temos viajado que têm uma base de fãs nossos, como Mumbai, Delhi, Mysore, Nagaland ...

Qual é o show mais longe de casa que você já fizeram?
O mais distante foi em Nagaland, que é um local a 5000 km da nossa cidade. Fizemos essa turnê ao nordeste da Índia em 2011,  realmente muito longe. Nos levou cerca de cinco dias e quatro noites para chegar lá. Ufa! Fico enjoado só de pensar nisso.

Como você promove sua banda e shows?
Nós fazemos isso até agora através das redes sociais. Temos também outros meios, como panfletos e anúncios, materiais impressos, notíciários e revistas que circulam pela cidade  específica em que fazemos um show .

Você tem alguma música favorita do novo álbum?
Bem, eu acho que seria muito injusto nomear qualquer uma, ou algumas músicas em particular, já que cada música neste disco foram, por si só, intrinsecamente traçadas nas nossas vidas. Elas são , como partes das nossas vidas, então, sim, nós amamos todas as músicas deste álbum. Cada música tem seu espaço em diferentes esferas das nossas vidas.
E o processo de composição ? Onde você costuma buscar inspiração para compor?
Nós amamos passar um tempo no estúdio trabalhando em um material novo, é mais uma desculpa para nos afastarmos das nossas vidas normais e saltarmos para os reinos da divindade. Nós não nos limitamos em termos de inspiração, nós gostamos de manter as opções em aberto. Às vezes tudo dá errado, mas é aí que está a beleza da coisa.

Descreva o processo de gravação do álbum. Ele foi gravado em seu estúdio caseiro? O álbum foi produzido por vocês?
Gravamos no Xandrin Studios em Bangalore, que é dirigido pelo nosso baterista, o Jared . É praticamente a nossa base, nós ensaiamos e gravamos lá. Rocky Gray do Living Sacrifice (ex- Evanescence) produziu o álbum.

Você incorporam algum instrumento indiano original neste este álbum?
Sim! Usamos instrumentos como sitar, sarangi, flauta, gravador, coral hindustão indiano e carnático Alaaps, bem como uma orquestra de câmara inteira.

Suas músicas falam sobre o que? Vocês cobrem algum tema específico?
Cada canção é interligada à faixa-título, " Empty Graves". Ela basicamente gira em torno dos intensos momentos de orgulho, dor , remorso, derrota e falta de sentido e como Deus pode restaurar nossas vidas através de seu amor incondicional através de tudo isso.

Antes de eu entrar em detalhes , eu gostaria de compartilhar como este título, Empty Graves, surgiu. Vínhamos trabalhando neste álbum com o título “Refresh” em mente, mas um dia, quando eu estava tendo uma conversa normal com Deus, Ele revelou algo muito inspirador. Eu estava na minha barragem habitual desfogando minhas frustrações, e Ele me perguntou qual era o núcleo da fé cristã, então eu respondi que era a ressurreição,  que faz a diferença de Jesus  vencer o pecado na sua vanglória. Foi quando eu percebi que o termo " túmulo vazio " não é atribuído a ninguém na história a não ser ao nosso Senhor Jesus.

Agora, a próxima coisa me constrangeu. Ele mostrou que nós, como Seus seguidores , não estamos andando em vitória; em vez disso, aceitamos a derrota e acabamos nos sufocando em nossos problemas, e talvez, dificilmente, acabamos na redenção. Nós não fomos feitos para viver a vida assim, então eu percebi que Deus não quer que nos afundemos na  nossa agonia, mas sim que alcançemos a vitória por intermédio dele, e que isso só é possível quando aprendemos a aceitar isso.

A maioria das bandas diriam que cada álbum é melhor do que o anterior. Isso é válido para este álbum ?
Infelizmente, sim. Isso porque é um desafio manter seus fãs animado sobre cada música nova que você escreve. Ela precisa ser recente , e você tem que pensar diferente para fazer a diferença.

Você tem planos para a turnê do álbum nos Estados Unidos?
Sim, nós estamos planejando isso para o início de 2014. Gostaríamos muito de estar nos EUA.

Qual você acha que foi a sua maior oportunidade até hoje em sua carreira musical?
Cada dia tem sido um milagre para a banda. Deus nunca deixa de nos surpreender e nos agradar.

Qual é seu ultimato para sua banda? No final do dia, o que o sucesso pacere para você?
É apenas seguir Jesus , não importa o quê aconteça. Sucesso para nós não se limita ao materialismo. Se as pessoas saem dos shows com nada além de  Jesus em seus lábios , eu acho que fizemos a coisa certa.
Acima de tudo, queremos compartilhar o amor que transcende através de Jesus mais do que qualquer coisa . Essa é a chave.

Qual tem sido o seu maior desafio como uma banda ? Você foi capaz de superar esse desafio?  Se sim, como?
Nosso maior desafio é manter constantemente os nossos olhos fixos no objetivo por trás da música e das nossas vidas .

É um processo diário, e sim, ele nunca acabará, até morrermos. Surpreendentemente, não muitas coisas ficam com você até a morte, independentemente da vitória ou derrota.

Trad por  Paulo Henrique
Col: Norman Lima

sábado, novembro 09, 2013

sexta-feira, novembro 08, 2013

Ethan Luck - Escute o cover do Social Distortion, When The Angels Sing (Feat. Mike Herrera)



Confira  Ethan Luck (ex Demon Hunter)  coverizadno  "When The Angels Sing"  do Social Distortion com Mike Herrera (Mxpx), abaixo. A música original by Social Distortion apareceu no álbum da banda de 1996 "White Light, White Heat, White Trash". Ethan Luck fez mais  um cover de 'Blind' do Face To Face , que é um download gratuito também e você pode encontrar esse abaixo. 




Via http://www.indievisionmusic.com/2013/11/08/ethan-luck-when-the-angels-sing-with-mike-herrera-social-distortion-cover/

Antidemon : Soldado volta tocar na banda.

20 ANOS DE ANTIDEMON 

Pic : Rhaquel Nusa

O texto abaixo é uma das atualizações recentes do Antidemon, na pagina do Batista.

"O Antidemon regressa ao Brasil! Estamos de volta a nossa terra após uma sequencia incansável de apresentações que em cada momento tivemos Deus conosco.
Após iniciar a tour de divulgação do quarto álbum da banda, o Apocalypsenow em 10 apresentações por toda a nação da Bolívia em novembro de 2012 a banda não teve folga, e após alguns shows no Brasil em junho já vieram várias apresentações na Argentina e Chile.
No dia 31 de julho embarcamos para a nossa quinta temporada na Europa. As conquistas foram muitas e além de vários shows em países que já havíamos excursionado nos anos anteriores como Alemanha, Republica Tcheca, Eslováquia, Itália, Espanha e Portugal a banda realizou uma sequencia de apresentações pela primeira vez na Sérvia, Hungria e Rússia.
Dia 16 de novembro próximo o Antidemon faz sua primeira apresentação no Brasil depois de tanta andança... Será em Contagem-MG no CNUC.
A partir dessa apresentação a banda volta a contar com “Marcelo SOLDADO Nejem” que já havia feito muitos dos shows com o Antidemon em 2012 e é uma honra tê-lo de volta conosco nas Missões que temos a frente.
Os shows no Brasil já confirmados para o Antidemon são:
16-11-2013 - CNUC – CONTAGEM – MG
23-11-2013 - CAMPOS DE GOYTACAZES – RJ
30-11-2013 - CONTRAMÃO MUSIC FESTIVAL – CARUARU – PE
07-12-2013 - CHAPECÓ – SC
18-01-2014- “20 ANOS DE ANTIDEMON” SÃO PAULO – SP
18,19-04-2014- METANÓIA FESTIVAL – VITÓRIA – ES


A nossa agenda continua aberta e com muitos convites a serem confirmados em breve.
Agradecemos a todos que nos tem ajudado, apoiado, orado e torcido por essa carreira de “20 anos” sem interrupção.
A nossa maior paixão continua sendo fazer o que fomos criados para fazer: A vontade do Pai em levar uma mensagem de salvação através de nossa música aos quatros cantos desse planeta".

Rock/Música cristã, como saber, quando é e quando não é...



A idéia para esse post, surgiu quando eu estava lendo uma recente entrevista da banda cristã finlandesa de hardrock, Desyre no site Untombed (que você deve conhecer ambos?!!). A pergunta, praticamente no final, ... Qual é sua definião de música cristã?
Não que eu nunca tenha pensado nisso, ao contrário, isso sempre esteve lá, num canto qualquer de minha mente, assim como já falei muito sobre isso no particular com amigos. Com base nisso, achei relevante, para o atual cenário do rock cristão, fazer essa mesma questão para pessoas relevantes de um modo geral, no meio cristão. Claro que não deu pra falar com muitas pessoas, não pense que é fácil responder isso... Você vai notar nas respostas de alguns... Os escolhidos (Essa palavra tem uma conexão com o que vou comentar a seguir...). Enquanto eu aguardava as respostas de uma certa pessoa, no caso, o meu jornalista favorito de todos os tempos... Doug Van Pelt, criador da melhor revista de metal/rock cristão que mundo já viu, em plena atividade desde de seu tímido inicio nos anos 80. Começou com um fanzine de uma única página! Isso é ou não é inspirador?... Essa última palavra, tem entrado muito no meu caminho... Uma espécie de canal pra falar comigo hoje... Doug é um cara ocupado, e (ainda) deve está atarefado escrevendo a autobiografia do Michael Sweet (Stryper) ou mesmo cuidando de seu lado escritor... A HM agora tem um outro comandante, mas ele ainda continua lá... Hahahaha. Então, estiquei as palavras né? Desculpe! Doug não respondeu a pergunta … Ele achou melhor, eu pegar seu texto, publicado numa edição especial de 25 anos (Jul/Ago 2010) Issue #144. E para essa big comemoração, ele preparou uma lista dos 100 melhores álbuns cristãos de todos os temPos (eu tenho a revista em pdf, quem quiser, me avise). Antes de listar os álbuns, ele fez uma ressalva, melhor, uma introdução, abordando a questão/tópico principal desse post, do qual está sendo tema aqui também, com a mesma finalidade.


NL
___________________________________________
["Há uma falha no rótulo "rock cristão". Isso todos nós sempre soubemos, certo?
Existem quatro explicações populares do que define uma música ou um álbum como “cristão”São eles:
1) a música traz letras que contam a história do Evangelho (o pecado, a salvação, Jesus);
2) a música traz letras que, embora não necessariamente, transmitam a "Mensagem do Evangelho", são moldadas por uma visão cristã do mundo;
3) a música é feita por e / ou escritas por músicos cristãos
(incluindo a música instrumenta l ou temas de letras "seculares" );
4) a música é considerada "rock cristão" por muitas pessoas cristãs ou, por falta de um termo melhor, é "de interesse" para os cristãos.
É na a quarta definição que temos uma espécie dimensão ao longo dos anos.
Por causa dessa nossa abordagem, alguns de nossos ‘apontados’ nesta grande lista poder ser questionada pelos puristas e / ou pelas próprias bandas. Se a sua banda está nesta lista e você não se considera sua banda como "rock cristão" ou mesmo que você tenha feito grandes esforços para se distanciar e não sofrer influência na carreira desta tag, temos um pedido de desculpas meio impertinente e meio sincero para você. "Sinto muito. É o que é. Trabalhar com isso.
Um grande homem disse uma vez: "O propósito de listar (rotular) é o inspirar argumento." Embora ninguém nunca tenha realmente usado essa declaração, eu acredito nisso. Nós esperamos que você aproveite esta questão."]

Doug Van Pelt


------------------------------------------------------------------

"A música cristã é música feita por cristãos para glorificar seu Pai no Céu, edificar a igreja ou, eventualmente, para alcançar aqueles que estão fora da igreja com as boas novas de Jesus Cristo".

Scott Waters 
--------------------------------------------------------------------------
"A definição de música cristã é potencialmente problemática. Você poderia escrever um capítulo inteiro de um livro sobre o assunto. Em termos de especificações, eu acredito que a música cristã consiste em que  todos os  membros da banda sejam  cristãos, o foco está no conteúdo cristão em termos de letras. Espero que isso não pareça  transversalmente  uma simplificação. Aqui está um link para um artigo da Wiki, que resume muito bem as coisas melhor: http://en.wikipedia.org/wiki/Christian_music"

Andrew Rockwell
http://www.angelicwarlord.com/
-------------------------------------------------------------------------

"A música cristã é antes de tudo centrada em Cristo. Qualquer banda que escolhe definir sua música como cristã deve atender a determinados critérios em meu modo de ver. A banda deve tentar evangelizar os perdidos, bem como edificar o corpo de Cristo através de suas letras, estilo de vida, imagens e performances ao vivo. Jesus veio buscar e salvar aqueles que estão perdidos, uma vez que esta é a missão de nosso Senhor Jesus Cristo, qualquer que opera sob a bandeira da música cristã deve também imitar as palavras e os atos do Senhor, esforçando-se para alcançar os perdidos através do sua plataforma musical.

Além disso, eu concordo que há grande valor em entretenimento positivo. E a música cristã é entretenimento, bem como um ministério e os dois têm uma relação simbiótica. Ambos existem para o benefício mútuo do outro. Se uma banda cristã tem um som muito profissional, toca bem demais, grandes shows, etc a probabilidade das pessoas aceitarem as mensagens aumentam .

Da mesma forma, se o aspecto ministério está na vanguarda da música da banda e a música é de alta qualidade, a mensagem obtém gravidade adicional com o público e a música leva essencialmente a mensagem final para o ouvinte, assim, dando a mensagem, um maior impacto.

Na última década temos assistido a um grande número de bandas que surgiram no cenário musical heavy tradicional que se descrevem como "um grupo de cristãos , mas não uma banda cristã " . Na verdade eu não encontro qualquer problema com essa premissa. Se a banda escolheu escrever músicas fora do âmbito do evangelismo para os perdidos e edificação do corpo de Cristo, elas não devem ser punidas por essa opção. Hoje bandas como Megadeth abordam suas letras dentro de uma perspectiva cristã do mundo, mas não se pronunciam como uma banda cristã. Sim , Dave Mustaine e David Ellefson são seguidores de Cristo individualmente, mas optam por não definirem o Megadeth como tal.

As letras do Megadeth possei consciência social e lidam com temas que vão desde a guerra , as questões sociais , as lutas pessoais , relacionamentos e política. Essas são questões que afeta todos nós, sendo você um cristão ou não . Então, as letras , neste caso, são relevantes para o ouvinte, e o aproxima de uma perspectiva cristã . Eu acredito que há um grande valor nisso. O que me deixa indignado são "bandas de cristãos, mas não uma banda cristã ", que tem letras, estilo de vida, imagens e performances ao vivo que não são consistentes com o que a Bíblia nos ensina como aceitável para os crentes em Cristo . Não tenho nenhum interesse ou respeito para as bandas que operam como tal e seria muito melhor ouvir e apoiar uma banda mainstream de incrédulos que não estão enviando seus sinais contraditórios ao público. O próprio Senhor declara que preferia que você fosse quente ou frio e não morno em relação ao seu comportamento aos Seus olhos.

Pessoalmente, eu acredito que se você é um "cristão em uma banda cristã ou um cristão em uma banda não-cristã", você precisa ser quem você diz que é, é isso que é um cristão. O cristão é aquele que é semelhante à Cristo e que participa da missão de nosso Senhor Jesus Cristo e vive sua vida de acordo com seus ensinamentos e exemplo. Evangelizar, edificar e entreter... Isto é bom e aceitável aos olhos de nosso Senhor Jesus Cristo e todo músico que é um cristão deve se esforçar para realizar isso em suas vidas diárias. Christ Is King!"

Brian Bishop
Host of Beyond The Riff 
https://www.facebook.com/pages/Beyond-the-Riff/148588385153083

---------------------------------------------------
"A resposta para sua pergunta  é clara e simples. Quando você usa o dom que recebeu de Deus e quer  levar Ele  através da música,  é isso que é música cristã. É sempre o propósito por trás que importa. Deus abençoe o seu trabalho Norman.
Long Live The King!"

Christian Liljegren  - Golden Resurrection 
---------------------------------------------------------------------


"Uma música é cristã quando a letra tem louvor, adoração, evangelismo, comunhão, reflexão de cunho cristão"


Pipe - Comunidade Golgota  
 https://www.facebook.com/comunidade.golgota

------------------------------------------------------------------------------

"Música feita por cristãos têm que ter letras centrada em Cristo"
Carl Johannes Jonsson - Metal Bible
https://www.facebook.com/themetalbibleofficial

Esta é uma área muito espaçosa. Eu não tenho certeza do quanto de espaço temos aqui? Eu amo algumas coisas da CCM e eu a descobri nos meus (mais inocente) dias da juventude, e também neste momento a minha volta ( mais velho). Naquela época tudo era muito preto e branco. Ou você era um cristão outlet ou um secular. Quanto mais velho fico, mais eu percebo que Deus, em Sua grandeza falou-me através de todo tipo de música. Estranhamente, principalmente através de "coisas secular". Eu amo minha dosagem "In-your-face" na ousadia das letras, mas isso não é para todos. Eu acho que os artistas cristãos também têm a liberdade de fazer o tipo de arte que vem do seu coração. Às vezes é muito chato ouvir coisas como "não tem muito Jesus em suas letras, eles estão desviados ou algo assim."

Mazi Bee - https://www.facebook.com/pages/DESYRE/154100964840
http://untombed.com/interview-desyre/

---------------------------------------------------------------------------

[IMO In my op...] Música em si é uma coisa neutra. Ela pode ser usada para qualquer glorificação do eu ou Deus. No entanto, ninguém vai encontrar nas escrituras um mandamento de só usar a música como uma ferramenta evangélica .
Qualquer música criada para a glorificação de Deus pode e deve ser definida como sagrada (ou seja, Worship Music). A música que o artista cria para explorar pensamentos sobre a vida, sua caminhada, crítica social também pode ser rotulada como "cristã" por causa da visão de mundo do autor. Profanação não tem lugar neste trabalho, uma vez que isso indica a condição por parte do artista.
Mas isso também não significa que um quociente de JESUS ​​deve estar implementado. Enquanto eu lia os Salmos o nome de Jesus não é usado uma vez .... por razões óbvias, mas a intenção do autor é bastante clara. O livro de Ester não menciona o Senhor em tudo, mas ainda está incluído... Eu realmente acho que devemos voltar aos velhos termos do sagrado e secular, porque a música sacra oferece letras claras, sensata, e indica por onde o artista está vindo ... ao contrário da música secular, que pode incluir tudo, desde comédia a blasfêmia...
Não há uma "fórmula" concreta ou um check list para o que faz um artista "cristão" ou não .... Eu realmente acredito que cabe a cada indivíduo fazer essa distinção para si. Alguns artistas são descaradamente evangelístico alguns não são. A maioria dos músicos são apenas isso musicos, não teólogos ... então por que estamos julgando nossos irmãos pelo conteúdo lírico de suas canções??
Como a maioria das coisas em nossa caminhada cristã, alguns de nós temos mais "liberdade" do que outros. Não para tripudiar sobre os outros, mas para aproveitar o tempo que estamos aqui. O apóstolo Paulo deixou isso bem claro em suas epístolas. Se alguém gosta de música que não tem declarações cristãs ou seja, conteúdo de adoração, isso significa que não podemos ser elevados ou edificados por essa arte. O começo do King's X é um excelente exemplo.
Para tentar achar uma definição concisa, se ​​ a música de um artista é cristã ou não é, isso é com eles .... Só porque a banda tem membros cristãos não significa que eles são obrigados a pregar ou se tornar evangelistas do palco.
Apenas alguns pensamentos sobre o assunto ... Eu provavelmente adicionaria mais perguntas que respostas!

Keven Crothers / Criador do lendário fanzine White Throne, hoje na Heaven's Metal.

News

Instagram

Postagens populares

Pesquisar este blog